fbpx

O baseball está de volta! Logo ontem, na quinta-feira, completamos uma semana de temporada regular. Pelos lados da AL East, o começo é devagar para alguns e rápido para outros – e não para quem esperávamos.

Vale ressaltar que o primeiro mês de temporada pouco quer dizer do futuro de um time. Um recorde ruim em abril não necessariamente significa que a franquia terá uma campanha negativa e vice-versa. Mas, de qualquer maneira, já tivemos grandes performances de times da divisão que devem ser exaltados.

Sem mais delongas, vamos à análise da primeira semana de baseball da AL East.

Tampa Bay Rays (5-2)

Os Rays, como destacado anteriormente, são um dos times que podem ameaçar e beliscar uma vaga no Wild Card. O começo da temporada trouxe um desafio difícil para o Tropicana Field, o Houston Astros. No primeiro jogo da série, o duelo entre Verlander e Snell acabou com um resultado melhor para a equipe texana, 5 a 1 para os Astros. A única corrida dos Rays foi em um HR na primeira entrada de Austin Meadows, em uma das três rebatidas cedidas por Verlander. Snell, por outro lado, cedeu seis rebatidas, sendo três delas HRs por Springer, Brantley e Altuve. O atual Cy Young deixou o campo após seis entradas, cedendo cinco corridas.

No restante da série, os Rays dominaram: Morton fez sua estreia com a camisa dos Rays contra o seu ex-time e teve uma performance sólida, saindo vitorioso contra Gerrit Cole. Para fechar a série, duas vitórias pelo mesmo placar, 3-1. Há de se destacar também Tommy Pham, que conseguiu ao menos uma rebatida em todos os jogos da série, além de Yonni Chirinos, que no último jogo teve 7 IP, 2 rebatidas cedidas, uma corrida sofrida e 6 Ks.

Contra os Rockies, foram três bons duelos. No primeiro jogo, o ataque foi explosivo, anotando sete corridas em nove rebatidas, com direito a HRs de Kiermaier e Brandon Lowe. No segundo confronto, Snell reviveu boas lembranças da temporada passada e dominou o forte lineup da equipe do Colorado: foram apenas duas rebatidas cedidas em sete entradas completas, com um total de 13 Ks. No último duelo, um duelo de pitchers e bullpens. O jogo se estendeu até a décima primeira entrada, quando Chris Iannetta rebateu um HR contra Chaz Roe. Morton arremessou por seis entradas e os Rays utilizaram cinco pitchers do bullpen na partida.

Snellzila teve uma noite de gala na vitória contra o Rockies! Foto: Kim Klement/USA TODAY Sports

De qualquer maneira, o início de Tampa Bay é animador para uma equipe que busca surpreender na temporada. A questão é se conseguirão manter um bom ritmo ao longo do ano.

Baltimore Orioles (4-3)

Olha os O’s aí, minha gente. Logo para abrir a temporada, duas séries contra rivais de divisão: primeiro, os poderosos Yankees, favoritos para levar o título da AL East. No primeiro jogo, a equipe do Bronx dominou do começo ao fim. Foram três corridas na primeira entrada, o que possibilitou o time a jogar com mais tranquilidade. Pelo lado de Baltimore, o destaque é de Trey Mancini que foi 3-4, com um RBI e uma corrida anotada.

O segundo jogo foi a primeira vitória da temporada. Nate Karns, reliever, subiu ao montinho como titular. Ele arremessou apenas duas entradas e os O’s seguiram a estratégia usar a profundidade do bullpen. E funcionou. A equipe utilizou, ao todo, seis arremessadores no confronto, com a vitória caindo na conta de Jimmy Yacabonis. No bastão, o catcher Jesús Sucre foi o grande destaque, com três RBI.

Para fechar a série, Dylan Bundy duelou contra J. A. Happ e levou a melhor. Embora Bundy tenha durado apenas 3.2 entradas (saiu com 93 arremessos), a equipe saiu com a vitória, surpreendendo o rival e vencendo a série. Renato Nuñez fez o estrago no bastão, com um HR, duas rebatidas e três RBI.

O ritmo seguiu no Canadá contra os Jays. No primeiro jogo, David Hess deixou a partida na sétima entrada com um eliminado e sem ceder NENHUMA rebatida no jogo. Pedro Araújo entrou em seu lugar com o objetivo de manter o no-hitter. Ele cedeu um walk no primeiro duelo, e no segundo, um HR contra Grichuk que acabou com a chance do primeiro no-hitter da temporada. Contudo, a vitória veio, embalando o terceiro resultado positivo consecutivo.

Na segunda partida, o jogo foi resolvido na sexta entrada, quando os O’s anoaram duas corridas com Smith Jr. – impulsionado por Villar – e o próprio Villar, impulsionado por Mancini. Com a vitória, os Orioles conseguiram, pela primeira vez desde 2016, quatro vitórias seguidas fora de casa. A equipe perdeu o último jogo da série e teve sua boa sequência interrompida, mas de qualquer maneira, foram ótimos resultados. Mesmo que as expectativas para 2019 não sejam das mais ambiciosas, vitórias são sempre bem-vindas.

Mancini e Villar começaram o ano com tudo para os O’s. Foto: The Virginian-Pilot

New York Yankees (3-4)

Lesões. Esse é o grande problema do Yankees no começo da temporada. O time acabou sendo surpreendido pelo Orioles na primeira série da temporada, mas o prejuízo veio mesmo dos muitos jogadores no departamento médico.

Giancarlo Stanton, Luis Severino, Troy Tulowitzki e CC Sabathia são alguns dos nomes na DL do Bronx, jogadores titulares que, com certeza, fazem falta. Além dos nomes citados acima, também vale ressaltar que outros atletas importantes são desfalques – Miguel Andújar, Dellin Betances e Aaron Hicks.

O time acabou devendo na série inicial, principalmente no último jogo, onde nem Happ nem o ataque conseguiram ser eficientes. Contra os Tigers, o apoio ofensivo foi inexistente frente aos bons jogos dos pitchers de Detroit.

Vale destacar as boas performances de Tanaka na estreia (5.2 IP, 6 H e 5 Ks) e de Gary Sanchez na vitória contra o Tigers por 3 a 1, com direito a um HR. No primeiro jogo da série contra os O’s, na quarta-feira, Gleyber Torres foi o grande nome da partida, com 2 HRs e 4 RBI.

Torres será importante para que os Yankees superem as várias lesões no elenco. Foto: New York Daily News

Toronto Blue Jays (3-5)

Os Jays estão inconsistentes por enquanto, mas claro, tivemos apenas uma amostragem e é cedo para qualquer prognóstico aprofundado. O primeiro desafio do time foi em Detroit, contra o Tigers.

O primeiro jogo só foi decidido na décima entrada. Os Jays enfrentaram Zimmermann em um dia inspirado. O pitcher dos Tigers arremessou sete entradas perfeitas antes de deixar o jogo. Pouco o ataque pôde fazer, e um HR de duas corridas na entrada extra decidiu o jogo. O time respondeu nos jogos seguintes com duas vitórias por shoutouts. A série acabou com uma derrota e a igualdade no saldo geral.

A segunda série foi contra o rival de divisão, o Baltimore Orioles. O time acabou perdendo a série por dois jogos a um; a única vitória veio no último duelo da série, com destaque para Matt Shoemaker.

Shoemaker on fire!

O recém chegado Matt Shoemaker, ex-Los Angeles Angels, começou a temporada com tudo. O primeiro jogo de Shoemkaer foi contra os Tigers, na vitória por 6 a 0. Na partida, Matt teve sete Ks em sete entradas, cedendo apenas duas rebatidas.

Na segunda aparição no montinho, Shoemaker teve ótima atuação contra os O’s; novamente foram sete entradas, com oito Ks e também duas rebatidas. Um ótimo começo do reforço do Jays para a temporada!

Shoemaker com um começo de temporada dominante! Foto: Detroit Free Pass

Boston Red Sox (2-6)

Que começo DESASTROSO de temporada para os atuais campeões. NADA, repito, NADA está dando certo para o Red Sox. Antes de tudo, vale destacar que a tabela foi ingrata com o Sox: tanto Mariners, quanto A’s iniciaram a temporada antes dos demais, o que pode ter dado uma pequena vantagem a eles. Porém, o desempenho do time é preocupante.

Rotação titular

Que péssimo começo para os titulares no montinho de Boston. Chris Sale, ace do time, abriu a temporada para o time em Seattle, contra o Mariners. Sale durou apenas três entradas, cedendo seis rebatidas e SETE corridas. Com uma desvantagem tão grande e cedo no jogo, a derrota veio. O segundo jogo de Sale não foi muito melhor, e a velocidade (ou falta de velocidade) de sua fastball preocupa bastante. E o resto, como foi?

Eovaldi, jogo 2: 5 IP, 8 H e 6 ER – time venceu e a vitória foi pra conta de Brian Johnson

Rodríguez, jogo 3: 4.1 IP, 8 H, 6 R, 5 ER – derrota

Porcello, jogo 4: 2.2 IP, 6 H, 9 R, 4 ER – derrota

Eis que, após perder três dos quatro jogos para os Mariners, o time chegou ao Coliseu para quatro duelos contra os A’s; no primeiro, David Price no montinho. O resultado? Um desastre, isso que Price ainda foi o que mais durou. Foram seis entradas, cinco rebatidas e quatro corridas, todas merecidas. Além de toda a dificuldade de Price, o arremessador não recebeu suporte nenhum do ataque.

Problemas no bastão

No ano passado, cansamos de ver o lineup salvando a pele dos arremessadores (especialmente do bullpen) e ganhando jogos para o Red Sox. No começo da temporada atual, isso não está acontecendo. O time já levou dois shoutouts na temporada. Contra os A’s, foram apenas seis corridas, três em dois jogos.

Vale ressaltar que contra os Mariners, o time teve bons jogos ofensivamente. Moreland e J. D. Martínez foram exceções. Ao todo, o time pode e deve melhorar mais frente.

Começo de temporada péssimo para o Red Sox. Foto: Over The Monster

Próximos jogos

Os Rays se preparam para seis jogos fora de casa, três contra os Giants e três contra o White Sox. Orioles e Yankees ainda terão dois duelos para fechar a série; em seguida, os O’s recebem os A’s. Já o time do Bronx viaja a Houston após a série, para três jogos para o Astros.

Os Blue Jays têm mais três compromissos em Cleveland antes de viajar a Boston para dois jogos contra o Red Sox. Boston viaja a Arizona para três jogos contra o D-Backs, por sua vez. Em seguida, os Sox jogarão pela primeira vez em Fenway em 2019, em dois jogos contra o Jays.

E aí, torcedor? Como você acha que será o desenrolar da segunda semana de jogos?

#MLBdaMassa #LetsGoBlueJays #Birdland #RaysUp #DirtyWater #PinstripePride

Colunas anteriores

QUEM LEVARÁ O TRONO DA AL EAST?

AL EAST: CONTAGEM REGRESSIVA!

Tags
Mostre mais

Artigos Relacionados

1 thought on “A PRIMEIRA SEMANA DA AL EAST”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close