fbpx
Indianapolis Colts

COLTS PERDE PARA O CHIEFS E SE DESPEDE DA TEMPORADA 2018/19

Indianapolis sofreu com o frio no Arrowhead e teve atuação muito abaixo do esperado

Faaaaala #ColtsNation

Enfim, encerra-se uma temporada que, no final das contas, saiu melhor do que a encomenda. Em um ano de reconstrução, com novos jogadores, a volta de Andrew Luck depois de uma grave lesão e a chegada de um novo treinador, o time foi aos playoffs e parou apenas no divisional game para o melhor time da AFC.

Com jovens talentos no time, como Quenton Nelson e Darius Leonard, 9 escolhas no draft de 2019 e um espaço de mais de 120 milhões de dólares no cap salarial, o Colts tem tudo para reforçar ainda mais a equipe para, quem sabe, chegar ao Super Bowl nas próximas temporadas.

O jogo

Em nenhum momento durante a derrota por 31-13 para o Kansas City Chiefs o Colts parecia ter alguma chance de vencer a partida. Indianapolis foi dominado durante todo o primeiro tempo, chegou a igualar as ações no segundo, mas o prejuízo já era muito grande. Logo nas primeiras posses, Indy teve dois 3&out, que vieram após a escolha de péssimas jogadas para as terceiras descidas. Em 3&3 e 3&2 foram chamados dois passes, sendo um deles em uma formação com empty backfield, ou seja, sem sequer um RB alinhado como corredor, o que facilitou demais a leitura da defesa, pois ela já sabia que teria que defender um passe e não uma corrida.

Além de escolhas ruins nas chamadas ofensivas, o time parecia congelado e sofreu com alguns drops nas primeiras campanhas, o que comprometeu o desejo da equipe em manter a posse de bola e deixar Mahomes fora de campo. Dos pecados de Indianapolis, ainda, se destaca a pouca insistência no jogo terrestre contra uma das pioras defesas da liga defendendo corridas, com média de quase 5 jardas cedidas por carregada. Foram apenas 9 corridas para Mack e 3 para Hines em toda a partida.

Se o ataque do Colts não fazia nada, a defesa muito menos. O Chiefs anotou touchdown nas duas primeiras posses do jogo, um FG na terceira e outro TD no final do primeiro tempo.

Por fim, quando o ataque de Indianapolis se viu obrigado a desistir de vez do jogo terrestre, as escolhas dos passes também foram equivocadas. Isso porque o pass rush de Kansas pressionava Luck, o que demandava passes e rotas rápidas, como screens, quick outs, slants e flats. No entanto, a julgar pelo tempo que o QB do Colts segurava a bola, a maioria das chamadas se desenvolviam com os recebedores trabalhando a secundária do Chiefs em rotas profundas.

Ataque

A unidade ofensiva de Indianapolis teve problemas nos primeiros drives com drops e chamadas horríveis. Além disso, sair atrás do placar muito cedo por 14-0 comprometeu o provável interesse do time em correr mais com a bola. A linha ofensiva do Colts, que vinha contendo muito bem a pressão adversária, não conseguiu ser tão eficiente contra o forte pass rush de Kansas, que forçou um fumble de Luck, além de 2 sacks e vários passes desviados.

Em meio a todas essas dificuldades, os números do ataque foram um tanto quanto discretos. Mack correu parar 46 jardas em 9 carregadas. Luck completou 19 de 36 passes para 203 jardas e 1TD. Hilton foi o melhor recebedor do time com 4 recepções para 60 jardas e 1TD. 

Defesa

A defesa demorou para se encontrar em campo e parecia estar congelada no primeiro tempo. O ataque comandado por Pat Mahomes anotou 2TDs nas duas primeiras posses, 1 FG na terceira e ainda mais um TD no último drive do primeiro tempo. Na segunda etapa o Colts conseguiu pressionar Mahomes, forçar alguns punts e até mesmo um turnover com o provável calouro defensivo do ano, Darius Leonard que forçou e recuperou um fumble e ainda foi responsável por 10 tackles.

Mostre mais

João Junior

Uberlandense (MG), nascido em 1996. Estudante de jornalismo pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Amante de futebol, futebol americano e basquete.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Chegar

Close
Close