fbpx
Boston Celtics

COMO É BOM TE ODIAR EM PLAYOFFS NOVAMENTE, SIXERS!

Celtics e Sixers se enfrentam pela 20ª vez em Playoffs e reascendem uma das maiores rivalidades da NBA!

Fala Nação Celta! Beleza?

Ainda estão comemorando a vitória GIGANTESCA que tivemos sobre o Bucks no jogo 7 de tirar o fôlego no último domingo? Eu ainda estou em êxtase, mas não há muito tempo para comemorar, afinal, hoje já começa mais uma série de 7 jogos que promete ser uma verdadeira pedreira, ainda maior do que foi contra o Bucks. E o adversário é um velho fregu… ops, rival! Sim senhores, depois de longos 6 anos, vamos voltar a saborear o ódio que envolve essa rivalidade histórica.

UMA HISTÓRIA DE ÓDIO E ÓDIO

A partir das 21 horas de hoje, começará a 20ª série entre as duas franquias. Nos últimos 33 anos, foram 3 séries e o Boston Celtics venceu todas, com shows de Bird, Parish e McHale na década de 80 e de Pierce, Garnett e Allen em 2012. Mas os embates históricos vêm desde a década de 60, com Boston tendo trabalho contra o Sixers mesmo tendo Russell e aquele time fantástico, tendo inclusive perdido o título de 1967 para o rivais da Philadelphia.

Do lado verde, destaque absoluto para os títulos de 1965, onde John Havlicek roubou uma bola a 1 segundo do fim de fez a cesta da vitória no jogo 7 e para as viradas espetaculares em 1968, onde destronamos o espetacular Wilt Chamberlain, depois de estarmos perdendo a série por 3-1, e de outra virada épica em que também revertemos um 3-1 em 1981, através do mágico time de Bird e cia em cima do Sixers de Julius Erving.

Fonte: NBC Sports Philadelphia

Voltando aos dias atuais, encararemos um Sixers remodelado, cheio de jovens muito promissores e alguns jogadores experientes que agregam demais ao jogo de Phila. É duro dizer isso, mas chegamos nessas semifinais como azarões, devido as inúmeras lesões que nossas principais estrelas sofreram durante toda a temporada.

O ASSASSINO SILENCIOSO: SCARY TERRY!

Durante a temporada regular, em 4 confrontos entre as duas equipes, o Celtics venceu 3, com direito a uma virada em Londres, na qual perdíamos por 22 pontos. Mas estávamos com Kyrie Irving, que sem meias palavras, é meio time do Celtics ofensivamente. Nossa estrela da camisa 11 está junto com o time em todos os jogos, dando força e apoio e tem visto um substituto à altura: Terry Rozier!

Fonte: Site Oficial Boston Celtics

Nosso menino de apenas 24 anos teve uma atuação assombrosa na série contra o Bucks, onde foi o verdadeiro “pai” de Eric Bledsoe, engolindo o armador dos Bucks nos dois lados da quadra em toda a série. No decisivo jogo 7, foram 26 pontos e 9 assistências do camisa 12. A intensidade defensiva que Rozier proporciona, aliada a grande visão de jogo que o armador vem demonstrando e à sua mão calibradíssima quase nos fazem esquecer do tamanho do desfalque que Irving representa, ou pelo menos deveria representar. A expectativa é enorme em ver até onde Terry poderá nos levar nesta pós-temporada!

A FORÇA DO NOSSO BANCO, OU DO QUE SOBROU DELE

Apesar do nosso banco de reservas estar “desfalcado” de Daniel Theis e até pouco tempo de Marcus Smart, além de Jayson Tatum que, teoricamente, seria reserva caso Gordon Hayward não tivesse se machucado, o que vemos é a extrema importância que Brad Stevens dá aos suplentes da equipe. A confiança que o treinador transmite a Baynes, Monroe, Larkin, Morris e Ojeleye é evidente. Não chega mais a surpreender, mas é impossível não se intrigar com o nível de performance que o nosso treinador consegue extrair de jogadores que eram renegados a segundo e terceiro planos em outras franquias.

Na série contra o Bucks nosso banco foi fundamental e as vantagens que construímos, principalmente nos jogos em Boston, tiveram participação direta dos suplentes, que tiraram o time do sufoco em diversos momentos, principalmente com a energia defensiva de Smart e de Baynes (que marcador!) , as bolas de segurança de Morris e a eletricidade contagiante de Shane Larkin.

Fonte: Photo by Brian Babineau/NBAE via Getty Images

A FORÇA DO TD GARDEN

Por fim, mas não menos importante, temos que nos apegar nos 4 jogos em Boston! Não é novidade para ninguém que o Td Garden é um dos ginásios mais incendiários da NBA, com a torcida mais apaixonada e participativa da liga e isso sempre é levado em consideração pelos nossos adversários. E isso pode ser o fiel da balança contra esse time do Sixers, que epesar de ter muito talento, ainda é jovem e inexperiente em Playoffs.

Ersan Ilyasova, peça importante do atual Sixers, disse o seguinte em uma entrevista coletiva concedida ontem (29/04) para a ESPN americana: “Quando estávamos em Miami … o ginásio estava meio vazio. Mas quando você vai para Boston, você vai sentir isso (a pressão). Mesmo na temporada regular, você sabe o quanto joga esse time em seus domínios, a arena está cheia e eles (torcedores) estão realmente empenhados!”

Fonte: Photo by Brian Babineau/NBAE via Getty Images

A guerra continua! E mais uma batalha se inicia hoje, em Boston, junto da Nação Celta! NADA É IMPOSSÍVEL para o maior time da NBA, e esse elenco já mostrou que é capaz de qualquer coisa, principalmente de deixar tudo em quadra em busca da vitória.

Como disse Kevin Garnett, em seu programa semanal de TV, quando Morris marcou a cesta da vitória no último lance contra o OKC na temporada regular: “Lutem pelo povo de Boston, pelo povo! Eles nunca abandonam o Boston Celtics!”

LET’S GO CELTICS!

#CelticsDaMassa

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close