fbpx
Arizona DiamondbacksMLBNational League

DREADFUL DIAMONDBACKS

16 derrotas em maio, ataque produzindo menos de 2.3 corridas por jogo... Até quando?

Aquele feeling após mais um jogo em maio. Foto: reddit.com/MLB.com

Boa tarde, meus queridos rattlesnakes. Mais uma vez peço desculpas pelo atraso na coluna, pois estava terminando um trabalho de radionovela. Either way, sejamos sinceros, a diferença de postar quarta, quinta ou sexta-feira, nesse momento, é apenas a quantidade de derrotas a mais para o Diamondbacks. Eu realmente não sei o que falar deste time no mês: semana passada tentei, explicando as possibilidades de nosso slump, e acabou que minha teoria se provou real – o ataque inexiste.

O que aconteceu nas séries, Diamondbacks?

Quarta-feira da semana passada, dia 16 de maio, tivemos nosso último jogo em casa contra o Brewers – perdemos, aliás. Após um dia de descanso no dia 17, o Diamondbacks partiu para uma road trip com três séries diferentes, contra o New York Mets (18-19-20 de maio), o Milwaukee Brewers (21-22-23 de maio) e finalizando agora, contra o Oakland Athletics (interleague series neste fim de semana, 25-26-27 de maio). Eu queria falar que jogamos muito bem, mas… Inegavelmente não jogamos.

Ataque do Arizona Diamondbacks em maio. Foto: http://raconteurreport.blogspot.com.br

Com um bullpen errático, entregamos o único jogo que estávamos na frente até o fim (no start também errático de Patrick Corbin, contra os Mets) e o resto foi fracasso puro. Aliás, pensem em uma série onde anotamos quatro corridas em três jogos contra pitchers de “calibre”, como Jhoulys Chacin e Brent Suter? Pois é, essa série aconteceu: inclusive, que tal 10 hits em 27 entradas contra o Brewers e esses pitchers? Fantástico, não? É… Não, não é fantástico: esse time está um verdadeiro dumpster fire e não parece estar disposto a sair tão cedo desta labareda de problemas.

Os problemas de teimosia dos hitting coaches em um novo approach, indicados no post de semana passada, continuam. Primeiramente, devido a este swing-free style, qualquer arremessador mediano é dominante contra nosso time. Igualmente preocupante são as escolhas do nosso manager Torey Lovullo: não faz NENHUM sentido Chris Owings, um rebatedor comprovadamente fraco (além de ser ruim defensivamente), ser o segundo ou terceiro do nosso line-up. Fica pior quando o tenebroso Alex Avila, com seus números desesperadores, aparece no line-up em vez de Murphy. O que dizer então de Fernando Salas e Jorge de La Rosa entrando para “forçar eliminações”? A única coisa que eles eliminam são nossas chances de vencer.

Algumas luzes no fim do túnel

  • Após dois anos sendo inexplicavelmente não-utilizado nas Majors e mofando na Triple A, Socrates Brito, um dos top prospects de Arizona, foi chamado ao main roster após a alocação de Steven Souza Jr na Disabled List. Considerado por muitos um jogador para lead-off, Brito tem um approach de contato no bastão e é um ótimo defensor. Capaz também de roubar bases, o garoto tem plenas condições de roubar também a vaga de Owings no outfield caso produza bem. Aliás, Lovullo: tire o Owings desse time, porque ele é horrível. DEIXE O BRITO FICAR NESSE TIME, AO MENOS ATÉ SOUZA E POLLOCK VOLTAREM!
  • Robbie Ray, você faz falta. Foto: http://www.fakepigskin.com

     

    Robbie Ray, nosso ace in the making, está se recuperando da lesão no oblíquo e já está arremessando de distâncias de 100 pés. Após um breakout year absurdo por parte do Robinho, inegavelmente muitos esperavam um 2018 de ace. Todavia, após um início abaixo da média e uma lesão ainda em abril, sua continuidade foi paralisada. Com Godley péssimo e Corbin tendo uma redução de velocidade gritante, os D-Backs comemorariam – e muito – seu retorno.

  • Apesar de A.J. Pollock estar longe de seu retorno, Shelby Miller pode estar de volta já em junho. O arremessador, que custou o futuro platinum glover Ender Inciarte e o first pick de 2015 Dansby Swanson em uma das trades mais contestáveis da história da franquia, está já arremessando para rebatedores no chamado Extended Spring Training e está pegando ritmo para voltar à Major League. Com a lesão de Taijuan Walker, Miller deve levar seu career 3.97 FIP para a rotação assim que possível.
Próximos jogos

25/05 (hoje, também conhecido como logo menos), @ Athletics (22:35 BRT)

26/05 (amanhã), @ Athletics (17:05 BRT)

27/05 (domingo), @ Athletics (17:05 BRT)

28/05 (segunda-feira), vs Reds (17:10 BRT – Memorial Day)

29/05 (terça-feira), vs Reds (22:40 BRT – Paint At The Park Special Event. Deve ser importante, embora não faça ideia do que signifique)

30/05 (quarta-feira), vs Reds (16:40 BRT – Matinee Game)

Tags
Mostre mais

Fernando Franca

Um mineiro latino-americano que ama o Vasco e os Dodgers e acredita que o Baseball é o melhor esporte já inventado.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close