fbpx

Cada vez mais, a temporada regular se aproxima! Faltam apenas 10 dias para o Opening Day, com exceção dos 2 jogos entre Mariners e A’s no Japão, no início da próxima semana. Aqui no Oeste, os Padres continuam impressionando e os Dodgers focam em manter seu time saudável. Rockies, com quase tudo resolvido, apenas esperam o fim do Spring Training, enquanto D-Backs e Giants tentam arrumar a bagunça.

San Diego Padres (14-8)

Bruce Bochy se aposentará no fim do ano, após 13 temporadas no comando dos Giants. Não, eu não estou no time errado. Há 13 anos, no fim de 2006, a direção dos Padres avisou Bruce, então manager dos Padres, que não renovariam seu contrato após o final da temporada de 2007. San Diego tinha acabado de ser eliminado pelos Cardinals nos playoffs.

Bem… nos últimos 13 anos, os Padres têm um total de ZERO aparições na pós-temporada, enquanto Bochy tem 3 World Series e um passe expresso pro Hall da Fama. Por ironia do destino, ou como um gesto simbólico dos deuses do baseball, a sorte volta a sorrir em San Diego exatamente no mesmo ano em que Bochy anuncia que pendurará a prancheta. A série de abertura da temporada, Padres vs Giants em San Diego, será no mínimo emocionante.

Voltando aos gramados, o maior destaque da semana para os Padres é a rotação tomando forma. O técnico Andy Green mexeu na ordem dos seus arremessadores, começando a alinhar a rotação para o Opening Day. Chris Paddack, que nunca jogou acima da Double-A e era apenas um prospect no início da pré-temporada, está basicamente garantido na rotação, mas provavelmente como 4º ou 5º arremessados. Com 2.13 ERA e eliminando 37% dos adversários via strikeout, é dificil barrar o menino.

À frente dele, o mais provável é que Joey Lucchesi seja o ace do time, seguido por Eric Lauer, Robbie Erlin e Matt Strahm. Todos os cinco pitchers apresentam potencial, mas são inexperientes e/ou pouco testados como titulares. O bullpen, liderado pelo closer Kirby Yates, deve ser sinônimo de segurança, mas é essencial que a rotação mantenha sempre o time no jogo.

Chris Paddack não abrirá a temporada, como queria, mas é nome quase certo na rotação. Foto: USATSI

Los Angeles Dodgers (12-10)

Boas e más notícias vindas do departamento médico de Los Angeles. Por um lado, Corey Seager parece 100% recuperado da sua cirurgia de Tommy John (cotovelo) e deve ser o SS titular na abertura da temporada. Por outro… Kershaw ainda não voltou a jogar após uma inflamação no ombro e não estará na partida de abertura. Pela primeira vez em 9 anos, os Dodgers terão um arremessador diferente no montinho no Opening Day. Não só isso, mas é possível que Kershaw comece a temporada na IL, a lista de lesionados.

Os candidatos a substituir o ace não podiam ser mais diferentes. Segundo Dave Roberts, tanto o veteraníssimo Rich Hill, de 39 anos, como a promessa Walker Buehler, que teve sua primeira temporada completa na MLB em 2018, estão na briga para abrir a temporada. Buehler é outro que sofreu com problemas no ombro, mas já estreou no ST e parece estar livre da lesão.

Além deles, o 1B Max Muncy se recupera de lesão no pulso, mas diz que deve estar pronto para o Opening Day também, assim como o fechador Kenley Jansen, que arremessou em dias consecutivos pela 1ª vez no domingo. A divisão continua tendo os Dodgers como grandes favoritos, mas antes de qualquer coisa, é preciso espantar as bruxas.

Rich Hill pode repetir essa imagem da World Series na abertura da temporada. Foto: Wally Skalij/Los Angeles Times

Colorado Rockies (11-12)

A briga pela 2B nos Rockies, comentada nessa coluna na semana passada, parece estar se resolvendo. Pat Valaika esfriou, apesar dos seus 4 HRs e 30.2% de aproveitamento no bastão. Ao mesmo tempo, Ryan McMahon segue voando cada vez mais alto e deve garantir a titularidade. Na última semana, ele conseguiu melhorar ainda mais sua média, de 40.6% para 42.9%.

Se essa briga parece resolvida, a diversão agora está na briga pelas vagas de catcher. O veterano Chris Iannetta, de 35 anos, dividiu a posição com Tony Wolters, de 26, no ano passado. Ambos são ótimos defensores e com certeza foram elementais para o sucesso da rotação em 2018. Kyle Freeland e German Marquez, ace e “vice-ace”, não tiveram o melhor ano das suas carreiras à toa. Porém, no ataque, nem Iannetta nem Wolters representam qualquer ameaça, com 23.0% e 22.6% na carreira, respectivamente.

É aí que entra Tom Murphy, que apesar de já ter 27 anos, pode ser considerado um jogador ainda em evolução. Na defesa, não se compara aos dois anteriores, e em algumas chances na MLB, ainda não mostrou o suficiente no ataque para se manter no time. Dito isso, Murphy vem demolindo nas Minor Leagues, conseguindo ao menos 17 HRs em 4 dos últimos 6 anos. Caso ele não cave uma vaga no time, os Rockies terão de colocá-lo nos waivers, o que significa que ele estará disponível para todos as outras 29 equipes de graça. Chegou a hora: ou vai ou racha…

Chris Iannetta foi peça chave para o ótimo desempenho da rotação em 2018. Fonte: Thomas Harding/mlb.com

Arizona Diamondbacks (10-12)

Falando em catchers, é aí que começa a dança das cadeiras dos D-Backs. Nos últimos 2 anos, a equipe adotou a estratégia nada convencional de carregar 3 catchers entre os 25 jogadores da sua equipe titular. Muitos times trazem um 3º catcher em ocasiões específicas, como após jogos longos ou caso um deles esteja passando por uma lesão leve, mas raramente um time segura o 3° catcher durante a maior parte da temporada.

Alex Avila, mais experiente, e Carson Kelly, possível futuro da posição e peça importante na troca de Paul Goldschmidt, parecem garantidos. Caso haja um 3º, esse deve ser John Ryan Murphy, que não tem mais opções de retorno às Minors. O problema dessa possível decisão é que o cobertor é muito curto, ou cobre os pés, ou a cabeça. Se Arizona levar um 3º catcher, deve ter de deixar de fora o 1B Christian Walker ou o OF Sócrates Brito. Nenhum se provou na MLB ainda, mas ambos apresentam potencial, tendo ido bem nas Minors em 2018 e sem mais opções para voltar à AAA. Ou ficam na MLB ou são expostos a todos os outros 29 times, assim como o catcher Murphy. Os D-Backs precisam tomar uma decisão.

Avila, Kelly ou Murphy? Ou todos os três? É essa a grande pergunta que ronda os Diamondbacks atualmente. Fonte: Steve Gilbert/mlb.com

San Francisco Giants (10-12)

No que parece ser totalmente proposital, o que mais chama a atenção na pré-temporada dos Giants é a falta de notícias. Poucas movimentações, poucos jogadores mandados para a AAA e muitos candidatos ao bullpen e ao outfield. Com a rotação praticamente estabelecida, o infield rígido como pedra e poucas novidades no resto, só podemos cogitar o que se passa nas cabeças de Bruce Bochy e de Farhan Zaidi, VP e chefão do baseball.

Steven Duggar é o menino de ouro do CF, mas seus cantos estavam abertos a qualquer candidato. Dado o quanto ambos estão jogando no ST, parece que o LF será de Gerardo Parra, recém-contratado, e o temido right field de Mac Williamson, que dava sinais de que ia estourar ano passado, antes de uma concussão no fim de abril praticamente acabar com seu ano. No entanto, Zaidi está sempre de olho em qualquer chance de troca, e já disse que poderia adicionar mais um OF antes do início da temporada. Então, tudo pode mudar mais uma vez.

Já no bullpen, Will Smith, Tony Watson, Mark Melancon, Sam Dyson e Reyes Moronta deveriam estar garantidos, mas como já dissemos, Zaidi adora uma troca. E por que não enviar um reliever, força do time, para trazer um outfielder, fraqueza do time? Eu poderia apostar que estarei falando disso na semana que vem. Além desses 5 nomes, os Giants também contam com Ray Black, capaz de atingir 100 mph com facilidade, Travis Bergen, adicionado no draft da Rule 5, e Ty Blach, Chris Stratton e Tyler Beede, candidatos ao papel de long reliever. Veremos quem sobra nesse caldeirão…

Mac Williamson está em busca de mais uma oportunidade nas Majors. Pode ser a sua última nos Giants. Foto: Liz Moughon/The Chronicle 2018

Por fim…

Daqui uma semana, os times estarão bem perto de tomar sua forma final, ou melhor, inicial. Obviamente, teremos várias mudanças ao longo da temporada, mas a forma como cada equipe é montada para o Opening Day diz muito sobre suas intenções para o ano e suas opiniões sobre certos prospects. E você leitor, que apostas tem para o início do ano?

#MLBdaMassa #DBacksSpring #DodgersST #SFGSpring #PadresST #RoxSpring

Colunas anteriores

PRÉ-TEMPORADA DA NL WEST A TODO VAPOR NO ARIZONA

A NL WEST EM 2019: O QUE ESPERAR

Tags
Mostre mais

H. Gonçalves

Henrique Gonçalves é fã dos San Francisco Giants desde 2002, quando começou a acompanhar a MLB vendo seu time perder a World Series. Não desistiu e hoje colhe os frutos do sucesso dos Gigantes!

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close