fbpx

Saudações, Massa querida! A semana da NL West foi cheia de confrontos dentro da divisão. O desempenho da maior parte das equipes da divisão foi ruim, com Dodgers e Diamondbacks puxando a divisão para cima.

Los Angeles Dodgers (8-2)

O início quente do ataque dos Dodgers se manteve na segunda semana da temporada regular. Em duas séries contra rivais de divisão, Los Angeles saiu com apenas uma derrota para o San Francisco Giants na abertura da série: o bullpen implodiu após Urías sair do jogo com uma vantagem de 2 a 0 para os Dodgers.

E o bullpen parece ser o calcanhar de Aquiles da equipe de Los Angeles até o momento. A rotação cedeu 19 corridas em 10 jogos (1,9 ER/jogo), mas o bullpen vem tentando entregar a cada partida, com 28 corridas cedidas no ano (2,8 ER/jogo).

No entanto, o jogo é feito de quem anota mais corridas que o adversário, e o ataque explosivo dos Dodgers vem impressionando, com 8,4 corridas anotadas por jogo. Já são 24 home runs na temporada.

Na semana, após vencer a série contra os Giants por 2 a 1, os Dodgers viajaram até o Colorado e, no Coors Field, varreram a série de três jogos contra os Rockies com placares elásticos (7-2, 10-6, 12-6), explorando os maus momentos de Tyler Anderson, Jon Gray e Chad Bettis.

Cody Bellinger foi eleito o NL Player of the Week após rebater 6 de 12 com dois home runs, cinco RBIs e oito corridas anotadas contra os Rockies em três jogos.

O ataque e a rotação vêm segurando as deficiências do bullpen até aqui, e se esse ritmo se mantiver, as coisas podem até melhorar para LA. Com a volta de Clayton Kershaw e Rich Hill em um futuro próximo e com Julio Urías consequentemente reforçando o bullpen, os Dodgers são um time para acompanharmos de perto.

Cody Bellinger e Max Muncy comemoram um home run na partida que consolidou a varrida contra os Rockies. Foto: David Zalubowski/Associated Press

San Diego Padres (6-4)

Os Padres estrearam na semana com derrota em casa para os D-Backs, ficando 1-2 na série, mas viajaram para St. Louis e bateram os Cardinals por 2-1 numa série de quatro jogos que teve o primeiro adiado devido a condições climáticas.

Após um início lento na série contra San Francisco na última semana, Manny Machado, a grande contratação da offseason, está encontrando seu ritmo e rebateu seu primeiro home run na quarta, na vitória contra os D-Backs por 4-1 que impediu a varrida. No sábado, ele mandou a bola novamente para fora de campo na vitória por 6 a 4 pra cima dos Cardinals.

Apesar de Manny estar começando a se encontrar, a potência ofensiva do time está longe de ser alta, e as vitórias se baseiam mais em boas performances no montinho do que no bastão.

Manny Machado rebate seu primeiro home run com a camisa dos Padres. Foto: Denis Poroy/Getty Images

Arizona Diamondbacks (5-5)

Enfrentando o San Diego Padres e o Boston Red Sox, os D-Backs tiveram uma semana pra lá de positiva. Após um 1-3 contra os Dodgers na Opening Week, o time do Arizona apoiou-se em fortes performances de seus pitchers e em um ataque surpreendentemente eficiente para vencer as duas séries por 2 a 1.

Apesar das perdas de A. J. Pollock e Paul Goldschmidt na offseason, os D-Backs seguem com um ataque promissor, com quatro rebatedores no top 10 da Liga Nacional em hits: David Peralta (19 hits), Adam Jones (16), Nick Ahmed (12), Ketel Marte (12).

Na abertura da temporada em casa contra o Boston Red Sox, os D-Backs deram à multidão que lotou o Chase Field uma vitória convincente por 15 a 8, o que elevou a média de pontos por jogo da semana para 6,5.

Mas não foi apenas no bastão que os D-Backs impressionaram. Merrill Kelly, quinto na rotação e estreante na MLB aos 30 anos, vem tendo um início muito promissor, liderando o time em ERA com 2.57, 14 IP e 0.79 WHIP. Apesar de ter ficado com a derrota de domingo contra os Red Sox, Kelly cedeu apenas 4 hits em 8.0 IP, teve 9 Ks e levou apenas 1 ER, a única corrida do jogo que terminou em 1 a 0.

Merrill Kelly, estreante de 30 anos, leva a derrota mas tem ótima atuação contra os Red Sox. Foto: ESPN.com

Colorado Rockies (3-7)

Os Rockies tiveram uma semana desastrosa, cheia de erros e inconsistências tanto no montinho quanto ofensivamente. Contra os Rays fora de casa, os Rockies amargaram uma derrota por 2 a 1 na série de três jogos. Contra os Dodgers, levaram a varrida na série de estreia da equipe no Coors Field.

A rotação passou a ser um problema para os Rockies, que não venceram nenhum jogo que teve um starter não chamado Kyle Freeland ou Márquez: Gray (5.68 ERA), Anderson (11.00 ERA) e Bettis (11.88 ERA) não estão ajudando. Mas, no lado positivo das coisas, Freeland iniciou 2019 tão bem quanto terminou 2018. Na semana, ele cedeu apenas 2 ER contra os Rays; contudo, sem receber ajuda de seu ataque, essas corridas bastaram para uma vitória do time de Tampa Bay. Já Márquez, que renovou contrato com os Rockies por mais 5 anos, cedeu apenas 5 H, 1 ER e 6 BB em duas partidas que terminaram em vitória.

Nolan Arenado ainda não rebateu um home run na temporada, o time tem a 24ª média de rebatidas da MLB, Charlie Blackmon está tendo dificuldades para se adaptar no RF (2 erros no domingo) e lesões vêm tirando peças importantes da equipe. Daniel Murphy, que já havia sido uma baixa da última semana, soma-se a Ryan McMahon (cotovelo), Tyler Anderson (joelho) e David Dahl, que saiu da partida de domingo com uma lesão no abdômen.

Um destaque positivo foi a estreia de Josh Fuentes, prospecto número 11 dos Rockies e primo de Arenado, chamado pela primeira vez à MLB após as lesões no infield se acumularem. Em seu primeiro at bat, na posição de pinch hitter, ele rebateu uma simples e anotou corrida impulsionada por Dahl.

Josh Fuentes rebateu uma simples em seu primeiro at bat na MLB. Foto: Andy Cross/The Denver Post

San Francisco Giants (3-7)

A semana dos Giants foi tão boa quanto um 2-4, mas isso não impede que alguns bons momentos tenham ocorrido. Apesar de perderem a série para os Dodgers, os Giants mantiveram os jogos disputados e venceram a abertura da série fora de casa, aproveitando-se da fragilidade do bullpen da equipe de LA e do bom momento do infielder Brandon Belt.

No segundo jogo da série, Madison Bumgarner teve uma entrada ruim, cedendo cinco corridas, quatro delas em um grand slam de Cody Bellinger, mas ele mesmo iniciou a reação na sexta entrada, rebatendo um home run de duas corridas. Os Giants lutaram até o fim, anotando três corridas na última entrada após levar mais uma na oitava, mas acabaram morrendo na praia com um 6-5.

Após sair com a derrota na abertura da temporada em casa contra os Rays, fica claro que o ataque está muito abaixo do desejável, vivendo de lampejos de jogadores como Belt e Steven Duggar. O ataque produziu 20 corridas em seis jogos na semana, 3,3 corridas por jogo.

Na série contra os Rays, a única vitória veio na segunda partida, onde Belt e Duggar foram responsáveis por todas as RBI do time, Duggar com um sac fly e uma dupla e Belt com uma simples e um home run.

Tyler Austin, 1B de 27 anos adquirido em troca com os Twins, chega para tentar ajudar o ataque ineficiente dos Giants a ter algum sucesso num futuro próximo.

Brandon Belt após rebater um home run na vitória contra os Rays. Foto: Santiago Mejia/The Chronicle

Conclusões

Os Dodgers se mantêm no topo da divisão, e será difícil tirar a ponta da equipe de LA se o ataque seguir produzindo como está. Os Diamondbacks tiveram uma semana surpreendente, mostrando força em meio à sua reconstrução. Padres e Giants vêm tendo desempenhos compatíveis às expectativas, que, mesmo com ambos os times tendo estrelas nos rosters, são baixas. Os Rockies são uma incógnita: o time atingirá seu potencial ou cairá exponencialmente, mesmo tendo bons jogadores?

#MLBdaMassa #RattleOn #LABleedsBlue #SFGiants #FriarFaithful #Rockies

Colunas anteriores

AGORA É PARA VALER! OPENING WEEK CONFORME O ESPERADO NA NL WEST

PREVISÕES PARA A NL WEST EM 2019

Tags
Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close