fbpx

A semana da NL West teve despertar do ataque do Colorado, os Dodgers vencendo após uma semana para esquecer, Arizona mantendo um desempenho mediano, San Diego caindo de produção e os Giants abraçando a reconstrução.

Los Angeles Dodgers (15-9)

Os Dodgers seguem em ritmo frenético na NL West. Eles varreram o fraco time dos Reds e bateram em 3-1 os Brewers no segundo reencontro de 2019 dos finalistas de 2018 da Liga Nacional.

Com um 6-1, os Dodgers se recuperaram bem de uma semana tenebrosa em que foram 1-6 após serem varridos pelos Cardinals em quatro jogos e perderem a série em casa contra os Brewers.

Clayton Kershaw estreou na temporada na abertura da série contra os Reds, cedendo um home run de duas corridas para o ex-companheiro de time Yasiel Puig na primeira entrada e nada mais. Ele terminou o jogo com sólidos 7.0 IP, 5 H, 2 ER e 6 Ks.

Apesar da volta por cima dos Dodgers, as últimas duas semanas do time vem sendo marcadas por desempenho no bastão abaixo daquele apresentado no início do ano.

Em sete dos 14 últimos jogos, a equipe de LA anotou três ou menos corridas e o melhor desempenho apresentado pelo ataque foi de sete corridas em dois jogos diferentes (uma derrota para os Cardinals e uma vitória contra os Brewers). Além disso, o time saiu sem anotar nenhuma corrida em dois jogos nesse período.

A média de corridas anotadas nas últimas duas semanas foi cerca de 3.7 por jogo, bem inferior às 8.4 corridas por jogo das primeiras séries da temporada. Os bastões estão quietos em LA, mas as vitórias voltaram a ser conquistadas.

Alex Verdugo, A.J. Pollock e Cody Bellinger comemoram vitória do Los Angeles Dodgers sobre o Milwaukee Brewers. Foto: Stacy Revere/Getty Images

San Diego Padres (12-11)

Os Padres começaram tão bem! 11-5, brigando pela liderança da divisão, e… poof! 6 derrotas seguidas e por pouco não foram varridos em casa pelos Reds, um dos piores times da liga. O que aconteceu? Antes de mais nada, o ataque sumiu. Foram 5 jogos seguidos, todos derrotas, sem anotar mais que 2 corridas. É o que acontece quando se tem tantos garotos no time. Os altos são maravilhosos com a empolgação da juventude, mas os baixos são de frustrar qualquer um com o peso da inexperiência.

Mesmo em uma semana com apenas 1 vitória, conseguimos encontrar alguns pontos positivos nos Padres. A começar pelos pitchers, que deixaram sempre o time no jogo, com exceção de Margevicius, que fez seu primeiro jogo ruim no ano, e Lucchesi, que se perdeu no 1º start na última 2ª feira mas se reencontrou ontem. A rotação é ainda mais nova e inexperiente que o ataque, então qualquer sinal de estabilidade é ainda mais importante que lampejos de brilhantismo.

Voltando ao ataque, até nele pudemos ver pontos positivos… Fernando Tatis, o menino de ouro dentre os meninos de ouro, continua jogando como veterano, com .348 na semana, aumentando sua média no ano para .291, além de 6 HR. Além dele, Wil Myers, o Padre a mais tempo atualmente, segue fazendo um ótimo início de campanha, com .303 e 5 HR, incluindo 2 na semana que se passou.

Rookie sensação, Tatis Jr. segue com ótimo desempenho pelos Padres. Foto: Joe Camporeale-USA TODAY Sports

Arizona Diamondbacks (11-11)

4-2 na estrada. Nada mal para um time em reconstrução que se mantém no meio do pacote da NL West. Os Diamondbacks visitaram Braves e Cubs e saíram varrendo o primeiro e perdendo por 2 a 1 a série contra o segundo.

Christian Walker vem com ótimo desempenho substituindo Paul Goldschmidt, o ataque vem num desempenho muito bom e há motivos para acreditar que o time melhore sua performance no montinho.

Contra os Cubs, a imprensa local culpou muito o Wrigley Field pela derrota na série. A hera que cobre o muro na parte interna do estádio está totalmente seca e um possível fly out contra a parede acabou se convertendo em corridas. Além disso, os ventos de Chicago custaram mais de uma corrida devido a fielding errors. Mas essa é a natureza de se jogar na cidade dos ventos. Apenas acontece.

Apesar dos D-Backs estarem apresentando um baseball de mais qualidade que muitos pensaram, há uma certa ideia geral de que o time está jogando perto de seu limite e que o que vem sendo apresentado hoje não se manterá por muito tempo. Essa questão só o tempo e os jogos dirão, mas sem dúvidas a sequência que Arizona enfrentará nas próximas semanas pode ser o momento de colocar esse time a prova.

Os D-Backs vão para Pittsburgh enfrentar os Pirates em quatro jogos, receberá os Cubs em três jogos, os Yankees em dois, vão para o Colorado jogar contra os Rockies em três jogos, mais três em Tampa, quatro em casa contra os Braves e mais três contra os os Pirates. As coisas podem ficar feias para as Serpentes de Arizona rápido demais.

O center fielder Jarrod Dyson cede um one run triple a Javier Báez após não conseguir o catch contra o muro no Wrigley Field. Foto: David Banks, David Banks-USA TODAY Sports

Colorado Rockies (9-13)

Sem dúvidas esta foi a melhor semana do Colorado Rockies em 2019. Após varrer os Padres em uma série curta de dois jogos, os Rockies venceram sua primeira série em Denver, com um 3-1 sobre os Phillies de Bryce Harper e companhia

Alguns jogadores despertarem no ano foram essenciais para o início de uma volta por cima da equipe do Colorado. O ataque, que vinha beirando o patético, não marcou menos que quatro corridas em nenhum jogo nesta semana.

Nolan Arenado rebateu seu primeiro home run no ano no domingo passado, dia 14, para impedir a varrida dos Giants para cima dos Rockies. Depois disso ele engrenou mais dois jogos consecutivos com home runs, ajudando nas duas vitórias contra os Padres.

David Dahl e Ryan McMahon retornaram da lista de contundidos e deram um gás à equipe. McMahon rebateu dois home runs em seu retorno na abertura da série contra os Phillies, sendo responsável por 5 RBIs na partida em que os Rockies venceram por 6 a 2. Raimel Tapia é mais um jovem Rockie em crescente, rebatendo um inside the park home run na derrota para os Phillies.

No segundo jogo da série contra os Phillies o show de Charlie Blackmon finalmente começou, com uma vitória de tirar o folego no segundo jogo da série: os Phillies abriram 2 a 0 na quinta entrada, os Rockies empataram na sexta e o jogo virou uma batalha de bullpens, indo até o topo da 12ª, quando Bryce Harper rebateu uma dupla com um em base e desempatou o jogo em 3 a 2.

Muitos que estavam no Coors Field foram embora e perderam o show de Blackmon. Tony Wolters chegou em base com um walk, mas Hampson e Tapia foram eliminados. Com dois strikes e dois eliminados, Blackmon rebateu o que poderia ser o último out em um walkoff home run. Ah, e no dia seguinte, Blackmon rebateu um home run de leadoff no primeiro pitch que viu no dia. Nada mal para os dois primeiros home runs do ano.

Com exceção da única derrota da semana, nenhum starter cedeu mais do que duas corridas. O mesmo vale para o bullpen. Jon Gray vem sendo a grata surpresa dos últimos jogos, com 2 hits, 2 corridas cedidas e 16 strikeouts em seus três últimos jogos como starter. Ótimo desempenho do antigo ace dos Rockies.

Ryan McMahon comemora com Arenado e Tapia seu segundo home run da noite em vitória contra os Phillies. Foto: AP Photo/Jack Dempsey

San Francisco Giants (9-14)

É quase um dilema do copo meio cheio ou meio vazio para os Giants… Penúltimos em HR na temporada. Penúltimos em média no bastão. Antepenúltimos em corridas anotadas. E por aí vai a lista da vergonha do ataque dos Giants. Por outro lado, o time é o 2º em ERA e 3º em WHIP, com o bullpen sendo 1º e 2º respectivamente. O problema é que o ataque não será tão ruim assim até o fim, mas os pitchers/defesa dificilmente irão tão bem assim até o final.

Nessa semana, esse mesmo ataque começou surpreendentemente quente e anotou 13 corridas em 2 jogos contra os Nats! É claro que nos 4 jogos seguintes, foram apenas 7 corridas. Não podemos exigir demais. Ao menos a semana começou com HR’s de Duggar e Longoria e terminou com um de Buster Posey, seu primeiro no ano, encerrando a maior seca da sua carreira. Em comum nesses dois jogos? Dereck Rodriguez, o vencedor em ambos os jogos, cedendo apenas 3 corridas em 10.2 IP.

A rotação, liderada por ele e Madbum, além de um Shark renascido das cinzas, vem fazendo o esperado, que é manter o time no jogo. O bullpen também vem como esperado, ou seja, fenomenal. Falta o ataque encaixar… As próximas chances vêm do outro lado da fronteira, contra os Blue Jays.

Madison Bumgarner arremessando em derrota para o Pittsburgh Pirates. Foto: Joe Sargent/Getty Images

Resumo da obra

Dodgers, Diamondbacks e Rockies tiveram uma semana de recuperação após desempenhos ruins na semana anterior, que se estendia até o início da temporada no caso da equipe do Colorado. O cenário da NL West pode e deve sofrer algumas alterações nas próximas semanas. Com os Dodgers voltando a vencer, osRockies em alta, Giants e Padres em baixa e os Diamondbacks circulando em torno dos 50% e com uma sequência difícil pela frente, as colocações podem ter mudanças num futuro próximo.

Texto escrito com a colaboração de Henrique Gonçalves.

Tags
Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Chegar

Close
Close