fbpx
New York Rangers

NOVO ANO, VELHOS PROBLEMAS

Em meio às festas de fim de ano, o New York Rangers inicia 2019 com velhas dores de cabeça

HEY! HEY! HEY, HEY, HEY RANGERSTOWN! FELIZ ANO NOVO! O New York Rangers encerrou 2018 retomando o caminho das vitórias após uma sequência beliscando apenas um ponto em cada partida. Foram dois triunfos fora de casa, o que levantaria a moral de qualquer equipe.

Mas o início do novo ano reservou um balde de água fria ao ser massacrado diante de sua torcida, o que acendeu um sinal amarelo na Big Apple. Os Blueshirts devem olhar para a loteria (o objetivo inicial na temporada) em vez de lutar por pós-temporada, mesmo não distantes do Wild Card?

O PREDADOR VIROU A PRESA

Depois de 16 jogos, finalmente a primeira vitória em tempo normal longe de casa – Foto via Christopher Hanewinckel/USA Today Sports

Apesar de estarem em uma sequência de 5 derrotas, o Nashville Predators não representava vida fácil aos Rangers. Afinal, os Preds brigam pelo topo de sua divisão.

Ainda assim, Chris Kreider (sempre ele) anotou o primeiro gol da noite ao desviar um passe de Zibanejad. Gol de número 20 para o camisa 20 em 2018/2019. Porém a equipe do Tennessee não demoraria a responder.

Lançando mão de sua principal arma, o power play, os mandantes chegaram ao empate com Nick Bonino. E o gol animou o adversário, empurrando os Rangers para a zona de defesa mas graças ao penalty kill nova iorquino, o empate se manteve.

Na segunda parte, os Blueshirts retomaram a vantagem com Jesper Fast antes dos Predators marcarem dois gols e decretar a virada, sendo o segundo gol novamente em um power play e novamente com Bonino. Os Rangers ainda tiveram a chance do empate, mas Pekka Rinne deteve o chute de Ryan Strome no breakaway.

A sorte dos Rangers mudaria no último período, mesmo criando poucas oportunidades. Marc Staal empatou com um disparo indefensável e, mantendo a pressão, os Blueshirts viraram outra vez com Fast em outro chute sem chances para Rinne.

Com mais da metade do período ainda por jogar, o que se viu foi os Preds buscando o gol a todo custo. Mas os Rangers estavam bem postados na defesa e seguraram o belo resultado. Destaque para a primeira linha. Zibanejad, Kreider e Fast combinaram para 10 pontos. Mika inclusive assistiu aos quatro gols da noite.

ADEUS ANO VELHO

Os Rangers tiraram proveito da má fase dos Blues e se despediram de 2018 com uma suada vitória – Foto via Joe Puetz/Getty Images

Nas últimas horas de 2018, um último compromisso: superar o decepcionante Saint Louis Blues. Kevin Shattenkirk retornava ao time, e era também o retorno do defensor ao Missouri pela primeira vez desde que foi trocado pela equipe que defendeu por sete temporadas.

O primeiro período foi todo dos Rangers, mas não sem levar um susto com o gol de Ryan O’Reilly. O empate só veio a 20 segundos do fim do período com Mats Zuccarello recebendo um passe preciso de Kreider para vencer o goleiro Jake Allen.

Apesar das várias penalidades cometidas no segundo período, os nova iorquinos chegaram à virada com participação da quarta linha. Boo Nieves com um backhand marcou seu primeiro gol em mais de 1 ano. A justiça do jogo se traduzia no placar até aquele momento.

O gol foi o último lance de emoção dos Blueshirts, que viram os Blues crescerem de produção. No terceiro período Henrik Lundqvist uma vez mais foi o salvador e manteve o placar inalterado. Foram 38 defesas do sueco, que foi coroado com sua 5ª participação no Jogo das Estrelas.

FELIZ ANO NOVO?

Com um primeiro período perfeito e um segundo período desastroso, os Rangers sofreram uma derrota vexatória para começar o ano – Foto via Brad Penner/USA Today Sports

Toda a empolgação pelas duas vitórias fora de casa caiu por terra na primeira partida de 2019. Diante do Pittsburgh Penguins, os Rangers tiveram uma mostra do que acontece quando seu goleiro não tem boa performance.

O duelo era complicado, já que os Penguins estavam embalados pelas seis vitórias consecutivas. E no primeiro período os Rangers dominaram todas as ações e evitaram as penalidades, mas o placar ficou zerado ao fim dos 20 minutos.

Infelizmente os Blueshirts não mantiveram o bom desempenho no segundo período. Mais que isso, viram o time de Pittsburgh anotarem três gols em 5 minutos antes de Strome marcar o primeiro gol dos Rangers, que não estavam com a pontaria em dia. Mas o gol não abalou os Pens, que marcaram mais um gol quase que seguidamente.

Logo no início do último período, Evgeni Malkin deixou Lundqvist prestes a encerrar prematuramente sua noite. Hank deixaria o jogo após sofrer o sexto gol em 18 chutes minutos depois de Pavel Buchnevich ter diminuído o prejuízo. E Alexandar Georgiev sofreria o sétimo gol marcado por Sidney Crosby.

Foi um jogo onde os Penguins tiveram grande jogo coletivo enquanto os Rangers além de perderem suas chances não viram nem sobra daquele Lundqvist que todos conhecem. Uma consequência do desgaste que o goleiro vem sofrendo na temporada.

_

Enquanto tentam juntar os cacos da desastrosa noite, os Blueshirts se preparam para uma dura sequência que o calendário reserva no restante de janeiro. Nos preparemos, caros torcedores, pois o ano apenas começou…

CAMPANHA

17-15-7 (5º colocado na divisão Metropolitana com 41 pontos)

ÚLTIMOS RESULTADOS

  • 4X3 @ Predators 29/12
  • 2×1 @ Blues 31/12
  • 2×7 vs Penguins 02/01

PRÓXIMOS COMPROMISSOS

  • @ Avalanche 05/01
  • @ Coyotes 06/01
  • @ Golden Knights 09/01

#NYRangersDaMassa #NYR #LGR #BrasilTemNHL

Tags
Mostre mais

Diego Diaz

Fã de Heavy Metal que acha que o Testament deveria estar no Big Four e Dio melhor que Ozzy, torce/sofre com Lakers, Knicks, NY Rangers e São Paulo FC. Considera que Phil Jackson foi melhor técnico do que GM e Pat Riley o inverso enquanto Henrik Lundqvist é o maior jogador da história dos Rangers.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Chegar

Close
Close